Se eu sou um homem bom,
com um coração bom,
se eu posso amar,
se eu posso sentir.

Qual o porque desse mal estar?
Irei morrer sem poder sorrir novamente?

Serei sempre esse ingrato com a sociedade,
esse sem nenhum posto,
este escroto ser,
sem a minima utilidade e felicidade.

Eu sinto uma eterna sede por amor,
mas pena que disso eu provei muito pouco,
e as vezes ainda nego o sentimento de minha sede.

Eu o nego e me apego ao ódio,
ao rancor, ao ódio,
e assim acabo por me matar,
nada mais existe, alem...
alem daquela velha e repugnante tristeza.

1 comentário

CAROLINA RAMOS em 12 de março de 2012 18:14

"Repugnante e velha tristeza".

Bem sempre ouvi dizer que a Natureza lava as coisas más da vida.
E se ainda permanece essa tristeza, é porque tem uma razão de ser, talvez para te lembrares o quão importante e escasso pode ser esse tal sentimento que tu eternamente desejas ter.
Se é velha, morrerá logo logo, não te preocupes, mas não descanses demais, pois atenção nunca é demais, seja qual for a ocasião.
As melhoras,
Beijos,
Ka2009

 
▲ Topo